top of page

"O retorno de twenty one pilots", confira a tradução da entrevista exclusiva à Kerrang! Magazine.


Após seu mais ousadamente ambicioso capítulo com "Trench" em 2018, twenty one pilots deu um minuto para se afastar e refletir. Agora, com o “brilhante e colorido” álbum "Scaled And Icy" a caminho, Tyler Joseph e Josh Dun levantaram a tampa em uma nova era que os encontrará desfrutando de mais liberdade criativa do que nunca.


Redação: Emily Carter

Fotos: Ashley Osborn

 

Uma velha irritação apareceu. Não do tipo ruim: crostosa e inflamada e talvez até um pouco nojenta. Mas a boa. Que, pelo menos, é a maneira muito peculiar como Tyler Joseph vê o mais novo single de twenty one pilots, "Choker". Como uma irritação.


Uma coisa é produzir tentando voltar e criar uma música de quando você era uma pessoa diferente,” o vocalista pondera antes de chegarmos a sua incomum comparação médica. “Outra coisa é quando vem de forma orgânica – quase como um velho hábito que é uma parte inevitável de quem você é, a ainda assim faz as fibras de quem você é. Está quase todo dormente, mas de vez em quando, ele inflama. Isso que é Choker: a inflamação de uma velha irritação que achávamos que estava curada. (ri). E nós estamos orgulhosos dessa irritação. Nós gostamos dessa irritação. A irritação é quem nós somos.


Mas, ele adiciona, “Nós tivemos que coçá-la.

É uma sensação que Tyler e seu parceiro de banda Josh Dun não haviam experienciado por um bom tempo até agora. Enquanto os dois, de 32 anos, conversavam com Kerrang! via Zoom – o vocalista com um boné de baseball em seu home studio em Columbus, Ohio; o baterista em um espaço muito mais claro e arejado – eles revelam que a tipicamente comovente "Choker" significa algo muito maior na história das duas peças que mudam de forma e gênero. Para twenty one pilots, é uma aceitação de sua jornada.


Essa história, com certeza, já foi dita muitas vezes. Só agora, há uma nova apreciação do processo por trás disso: como as composições incrivelmente ambiciosas de Tyler e Josh catapultaram twenty one pilots de academias para arenas de atração principal de festivais dentro do curso de diversos álbuns brilhantes (o terceiro LP Vessel de 2013, a fenomenal continuação Blurryface de 2015 e o ousado Trench de 2018, em particular). A banda estava pensando no futuro e decididos a extrapolar os limites, dando um minuto para darem um passo para trás e apreciar o que haviam criado. E tudo começou com "Choker".


Eu lembro quando eu me prendi na composição dessa música, apenas fluiu; foi assustador como essa música foi muito fácil de escrever,” Tyler se recorda. “E isso foi porque eu sabia que eu estava vindo de um lugar, e eu estava em um reino que eu havia passado muito tempo dentro antes. E eu estava confortável ali; Eu estava familiarizado com os meus arredores. E eu acho que é por isso que foi uma música fácil de compor.


Eu acho que Choker é o começo de eu estando feliz com todo o trabalho feito, e sentindo que eu não tenho que me afastar de certas coisas que pessoas iriam considerar de nossos antigos álbuns.



Deixando de lado as novas perspectivas de carreira (e pandemias globais), os dois membros de twenty one pilots também passaram por mais marcos significativos recentemente: Tyler se tornou pai pela primeira vez em Fevereiro do ano passado, enquanto Josh se casou na véspera de Ano Novo de 2019. E, de fato, apesar dessas emocionantes reviravoltas, há mais uma mudança que eles ainda esperam completar.


Mesmo que você seja um pouco mais velho do que eu, posso adotar você?” Tyler pergunta ao seu parceiro de banda.


Nós definitivamente poderíamos tentar,” responde de forma sarcástica. “Eu acho que meus pais têm que legalmente me deserdar primeiro. Você tem que pedir pela bênção deles...


Vou levar seu pai para jantar e pedir a mão do filho dele como baterista,” o vocalista sugere, antes que os dois caiam na gargalhada. Ok, talvez nós possamos arquivar isso debaixo da “não-tão-sério lista de coisas a fazer”, mas o ponto é o mesmo: o mundo de twenty one pilots está em um lugar diferente esses dias.


Nós tivemos grandes momentos da vida que aconteceram para nós,” Tyler sorri. “Eu me tornei pai, Josh se casou. Minha esposa disse que minha filha tem 15 meses, e toda vez que ela disse ‘meses’, eu tenho que fazer a conta! Mas ela tem um pouco mais de um ano, e é muito divertido. Eu acho que ela pensa que eu sou um vagabundo, minha filha; ela pensa que eu não faço nada


Minha esposa também acha que eu sou!” Josh caçoa.

Foto/Reprodução: Kerrang! / Ashley Osborn

Embora o lockdown tenha de fato colocado os aspectos de turnês de seus trabalhos em espera, essa pausa na estrada está longe de ser improdutiva: em 21 de Maio, eles retornarão com seu muito antecipado sexto álbum "Scaled And Icy" e uma experiência de transmissão ao vivo global para dar a partida. Tyler e Josh efetivamente utilizaram o tempo de inatividade do COVID para trabalhar, com a redução de seu épico ciclo de "Trench", que mal os perturbava. É uma posição que eles estão extraordinariamente gratos.


Nós tivemos conversas que são como ‘mergulhar no agradecimento’ em nossa situação,” Diz Josh. “E se [a pandemia] tivesse acontecido logo depois de termos lançado Trench, ou no meio do ciclo do álbum, ou até mesmo no início de nossa carreira quando nós estávamos apenas começando? Nós tomamos um tempo nessa jornada inteira que temos como uma banda para refletir. Enquanto nós certamente entendemos a gravidade do que esse ano foi para algumas pessoas e quão terrível ele foi, nós percebemos de várias maneiras o quão sortudos nós fomos por isso ter acontecido no tempo que aconteceu. Eu não quero soar horrível dizendo isso, mas perceber que foi importante.


Enquanto ambos admitem que o lançamento de Scaled And Icy tem uma “vibe diferente” devido ao fato de que não há datas ao vivo no calendário, a falta de shows também está provando ser um enorme benefício para sua criatividade. Então preparem-se pessoal, porque Tyler já começou a fazer mais novas músicas...


Geralmente quando nós terminamos de trabalhar em um álbum eu me sinto completamente esgotado; Eu coloquei tudo que eu tenho nisso, e eu estou cansado de compor, cansado da música, por certo tempo,” ele explica. “E com esse, por algum motivo – talvez seja porque eu sei que nós não vamos sair e fazer shows – depois de ter acabado, eu não senti aquele sentimento de esgotamento. E eu na verdade continuei a criar, mesmo depois. Eu ainda estou compondo e animado sobre a música. Eu não sei se isso é uma coisa boa ou rum... espero que seja apenas uma coisa boa!


Falando em nome dos fãs de twenty one pilots de todos os lugares, nós podemos confirmar absolutamente que isso é uma coisa muito boa. Mas nós não estamos aqui para discutir sobre isso. Não, nós queremos saber tudo sobre Scaled And Icy...

Foto/Reprodução: Kerrang! / Ashley Osborn

Faz menos de um mês após o anúncio do álbum – junto com o lançamento do contagiante e elegante single Shy Away – e a internet está inundada com teorias. Esse tipo de coisa acontece toda vez que twenty one pilots faz literalmente qualquer coisa. Das tocas de coelhos do Reddit a detalhados vídeos do Youtube, o grande mundo construído para Trench avulta sobre Scaled And Icy... mesmo que os comos e porquês ainda estejam sendo revelados online pelos seguidores fiéis da dupla.


Tendo cuidadosamente criado o conceito de Trench por muitos anos – a mais básica essência é que há nove bispos que ditam um lugar chamado Dema, com esse local fictício representando uma área muito real onde pensamentos negativos residem dentro dos nossos próprios cérebros – Tyler sugere que o próximo esforço da banda tem um “equilíbrio” entre narrativa e música. Afinal, enquanto Shy Away e Choker possam absolutamente ser apreciados cientes da história, ainda há muitas ligações que faz os fãs se perguntarem onde twenty one pilots irão em seguida. Não que a banda vá dar prontamente qualquer uma dessas informações. Eles mantêm tudo muito bem guardado – e aberto à interpretação.


Um exemplo: o título do álbum “Scaled And Icy” é um anagrama para “Clancy Is Dead” – Clancy é o protagonista de Trench tentando escapar do controle autoritário de Dema, que talvez tenha ou não conseguido realizar seu objetivo.


Esse anagrama foi só um feliz acidente, ou foi deliberado?


Foi um acidente,” Tyler responde.


Sério?


Silêncio. Mas há uma sugestão de um sorriso rastejando no rosto do vocalista.


Além disso, a ideia de “propaganda” parece ser uma linha compartilhada entre os fãs desta vez, com a estética mais brilhante do álbum e sons mais otimistas, potencialmente um sinal dos sutis poderes de lavagem cerebral de Dema em ação. E, no single festivo surpresa do ano passado Christmas Saves The Year – meses antes de Scaled And Icy ao menos ser anunciado – a mensagem de “SAI is propaganda” foi escondida dentro da capa da música. Scaled And Icy nos dará todas as respostas?


Eu sempre senti que é realmente uma perda de oportunidade não criar uma história dentro da música, e mesmo quando eu comecei a compor músicas eu sabia que queria colocar algo maior nelas,” Tyler diz. “Mas, ao mesmo tempo, Josh e eu sempre temos conversado sobre não querer que houvesse um pré-requisito para curtir as músicas; nós não queremos que você saiba todos os detalhes da história para realmente aproveitar e encontrar algo que signifique algo para você dentro de uma música.

Determinados, também, a não fazer qualquer tipo de “álbum do lockdown”, o duo concordou que teria sido “muito previsível segurar um espelho diante das nossas circunstâncias e criar um álbum exatamente como apareceu na nossa frente”. “Não achei que um álbum sombrio fosse apropriado; a ideia de escapar foi mais atraente para mim,” Tyler explica. “A razão pela qual parece quase desconectado da realidade em que foi criado é intencional. Vai parecer um pouco mais leve por causa disso.


Desde o início da nossa amizade, sempre estivemos na mesma página musicalmente,” Josh continua. “E tendo conversas sobre o estado do mundo meio que ditando o clima ou a sensação de um álbum, eu acho que a direção que esse álbum tomou instantaneamente pareceu certa para nós dois. Tem sido um ano louco, e o fato de que nós estamos prestes a lançar um álbum é um respiro de ar puro.


Diferente de Trench, twenty one pilots trabalhou dentro de um processo de composição muito menos rígido em Scaled And Icy, saboreando a liberdade de não ser limitado por exatamente onde o enredo precisava ir de uma faixa a outra.


Definitivamente foi mais fluido, e um pouco menos cronológico,” Tyler diz. “Foi uma partida, em certo sentido. Você apenas persegue a próxima ideia, e a próxima ideia, e colocaria tudo junto. Eu olhava [as músicas] como um todo e as posicionava. Eu acho que sabia quando compondo Good Day que seria [a primeira na lista de faixas], e eu sabia que Redecorate seria a última, e eu sabia que Choker era a segunda, também. Mas fora isso, parecia que tínhamos nossos suportes de livros para tocar e, então, estávamos apenas criando dentro deles.


Mas quando você sabe onde olhar,” ele adiciona, “continua se ancora na história que estamos contando.

Como sempre, então, vale a pensa prestar muita atenção – não só liricamente, mas no que diz respeito ao som também. Shy Away e Choker ostentam um humor sonoro mais alegre do que Trench, mas Tyler promete “minas terrestres” de emoção ao longo do álbum nas audições repetidas.


O que você é inundado [no início] é brilhante, e colorido, e aparentemente otimista,” ele pontua. “Mas, como sempre, conforme você mergulha nas letras, muitas vezes está fazendo algumas perguntas muito pesadas e abordando algumas coisas muito pesadas. Isso foi intencional.


Definitivamente, há alguns momentos que te forçam a pensar e sentir algo,” Josh concorda.



Crucial nessa direção, também, foi como Tyler e Josh trabalharam juntos – enquanto simultaneamente separados – ano passado. Juntos decidiram assumir papéis importantes na produção de Scaled And Icy, operando remotamente ao lado de figuras escolhidas em apenas algumas músicas: o colaborador de Trench e músico do Mutemath, Paul Meany “tem suas impressões digitais por toda a parte” Redecorate e Saturday, enquanto Mike Elizondo – que também havia trabalhado em Blurryface – juntou as forças com a banda em Good Day e Mulberry Street. Além disso, o vencedor do GRAMMY e produtor Greg Kurstin (Foo Fighters, Adele, Paul McCartney) também quis deixar sua marca em Saturday.


Eu pensei, honestamente, ‘Sim, ouvi dizer que esse cara é incrível, mas as chances de ele adicionar algo melhor do que eu penso já é, provavelmente, 5 por cento”’ Tyler admite. “Eu disse a ele: ‘Não quero que você gaste o seu tempo porque você tem que descobrir algo aqui, porque eu apenas não vejo que isso vai dar certo...’ E mesmo assim ele entrou e ele fez! Ele enfiou a linha na agulha e tornou a música ainda melhor e adicionou muitos elementos muito legais e a produziu. Estou muito animado com essa faixa.


Todo o resto, porém, foi tudo twenty one pilots. E com Josh vivendo em Los Angeles durante o processo criativo, a dupla apreciou a natureza “simplificada” de ser uma dupla enquanto se comunicavam virtualmente, realizando suas partes com relativa facilidade em suas respectivas casas.


Quando estamos entrando em um estúdio e gravando a bateria, eu sinto uma pressão às vezes, sabendo que nós temos apenas um certo tempo ali, e há um monde de pessoas paradas apenas esperando para ir para casa,” admite Josh. “Para mim, essa foi a maior diferença, porque nós nunca gravamos a bateria em um estúdio caseiro; nós sempre alugávamos algo grande em LA. E foi definitivamente um divertido experimento. Eu estava nervoso de que não iria ser bom o bastante, mas isso criou uma liberdade para fazer exatamente o que queríamos fazer e tivemos o tempo para sermos capazes de fazer isso. Nada realmente nos supera de sair juntos e trabalhar na música, mas isso cria algumas coisas positivas ao mesmo tempo.”

Foto/Reprodução: Kerrang! / Ashley Osborn

Há algumas coisas que Josh e eu fizemos enquanto criávamos o álbum que nos apaixonamos: apenas o timo de química que construímos mesmo que tivéssemos que usar videoconferência e outras coisas”, Tyler – que aprendeu a tocar guitarra pela primeira vez nesse álbum – acena com a cabeça. “A confiança que nós ganhamos por sermos capazes de produzir nosso próprio álbum, com algumas músicas que ninguém tocou além de nós, é algo que eu espero que continue no próximo álbum também.


Seu projeto mais prático ainda resulta em mais uma série de gêneros que derretem o cérebro, Tyler orgulhosamente descreve uma “ausência de medo desocupada” em certos momentos no LP. De fato, comparando Choker a uma das faixas de destaque do Scaled And Icy – que temos que manter em segredo por agora – o vocalista se maravilha, “Para essas duas músicas viver no mesmo álbum é uma loucura para mim! E isso só fala sobre a maturidade minha e de Josh, e apenas o amplo espaço de nosso espectro de quem somos como uma banda e o tempo que temos sob nosso cinto em nossa carreira.


Essa maturidade, de qualquer modo, não chegou da forma mais direta...


Tempo. Perspectiva. Separação. Essas são todas as palavras que Tyler Joseph usa para refletir nas diferenças entre a criação de Trench e Scaled And Icy. Ao contrário do seu antecessor, diz ele, SAI foi escrito sem a necessidade de “compensar”. Você vê, depois do sucesso monumental de Blurryface, houve um grande peso pairando sobre as cabeças de twenty one pilots. Tyler nem ao menos tinha absorvido seu significado no início.


Houve um momento no [ciclo de] Blurryface com [mega-sucessos] Stressed Out e Ride, e depois [single do Esquadrão Suicida] Heathens, onde havia pessoas que ouviam nossa música que não reconhecíamos – e quando eu digo ‘reconhecer’, não quero dizer literalmente reconhecer, mas quando nós interagíamos com eles, era tipo ‘Eu não reconheço que você é nosso fã’” o vocalista se lembra. “E não que nós não gostávamos deles por isso, mas eu sentia que com isso havia uma necessidade de apresentar Trench de uma forma que quase que intencionalmente alienasse certas pessoas com a nossa música.


Eu não acho que enquanto escrevia Trench, eu estava tipo ‘Nós nos alienamos dessas pessoas e criamos algo que só nossos fãs irão gostar’”, acrescenta ele. “Mas olhando para trás, posso ver como isso pode ter sido uma motivação, e foi o antagonista de todo o processo de criação – que não é algo ruim. Acho que tendo algo contra o que empurrar, esse atrito pode criar algo ótimo. E eu ainda estou muito, muito orgulhoso disso.

Foto/Reprodução: Kerrang! / Ashley Osborn

Existem muitos exemplos ao longo da história de artistas lutando com um colossal sucesso que experimentaram alguma forma de pivô para uma direção diferente – do Nirvana ao Pearl Jam. Na verdade, tentou – e evidentemente falhou – não fazer isso sozinho...


Olhando para trás, isso ainda aconteceu,” ele ri. “Essa é quão poderosa essa emoção é, quando do nada, globalmente, em grande escala, pessoas estão avaliando se pensam ou não que você é bom. Isso pode realmente impactar você de maneiras que você nem percebe, até você olhar para trás.


Ao mesmo tempo, no entanto,” Josh argumenta, “havia um sentimento de um pouco de rebelião, do aspecto de previsibilidade que queríamos afastar, mas também tentando ter em mente que nós tivemos algumas das nossas bandas favoritas mudarem completamente seu som ou estilo depois de um grande álbum, e isso pode ser irritante, e pode ser frustrante para um fã! Nós definitivamente não queríamos nos inclinar muito nessa direção.



Scaled And Icy, então, parece se gabar do equilíbrio perfeito: encontra twenty one pilots entendendo seu lugar, a si mesmos e uns aos outros de forma mais coesa do que nunca.


Eu apenas assisto Tyler sentar no piano, e ele gravita para tocar algo que é fácil de ouvir e soe ótimo”, Josh sorri com o processo de seu colega de banda. “Mas eu acho que ele também [se força] a colocar, tipo, um acorde mais sombrio, menor ali; aquela inclinação para tornar as coisas um pouco mais ásperas, ou rasgar as arestas. E eu sempre gostei disso, e sempre achei que era necessário. Eu acho que nós compartilhamos alguns desses sentimentos rebeldes de simplesmente não querer ser previsto de algumas maneiras, mas [ainda] mantendo a integridade do que sempre fizemos e como sempre queremos abordar a música estilisticamente.


E aproveitando o momento,” Tyler continua. “muitos outros compositores com algo que é muito estranho, esquisito, meio não refinado e apenas retorcido, e então eles têm que fazer coisas para cortar a gordura e iluminar. Eu, como compósito, venho aqui onde a ideia é muito direta; já é muito brilhante, com quase zero defeito. E então eu gosto de dar a ela esse personagem, e dar algumas falhas e individualidade. Josh observa esse processo. – onde tento trazê-lo de volta ao centro – e ele está sempre dizendo: ‘Não rasgue muito. Não estrague muito agora.’ Porque sempre me sinto inseguro sobre trazer algo para a mesa que é muito simples. Nós temos uma ótima dança, e nossa química tem sido ótima. E eu tenho aprendido a não ter medo de ser quem eu sou como compositor, e Josh me ajudou a perceber isso.


Aproveitando o momento, ansiosos para o futuro e – crucialmente – apreciativo do passado. Tyler e Josh estão em uma boa posição agora, e tudo remonta à imagem nojenta de Choker sendo a orgulhosa “irritação” da banda.


Eu amo os álbuns antigos agora mais do que nunca,” Tyler sorri. “Eu sempre os vi como um registro de data e hora de quem eu era e o que estávamos fazendo, e onde estávamos em nossa carreira e os tipos de shows que estávamos fazendo. Eu olho para trás em músicas antigas, e eu acho que amadureci o suficiente para ver apenas o que há de bom nelas, e não apenas o que há de ruim. E com essa maturidade recém-descoberta virá a capacidade de escrever músicas que ainda tenham esse sentimento."


Estou tão em paz.”


Scaled And Icy será lançado em 21 de Maio pela Fueled By Ramen. twenty one pilots realizará um evento global ao vivo no mesmo dia do lançamento do álbum.


 

EXTRAS:


42 visualizações0 comentário

Comments


TWITTER

SPOTIFY

DISCORD

INSTAGRAM

bottom of page